O cabeça-de-lista do PS em Viana do Castelo nas últimas legislativas disse, esta quinta-feira, à agência Lusa que será substituído este mês, como deputado, por Sandra Pontedeira, para assumir as funções de vice-presidente da Câmara de Lisboa.

Em causa está a incompatibilidade legal de Fernando Medida assumir aquelas funções autárquicas a tempo inteiro, para as quais foi eleito no domingo, mantendo o cargo de deputado eleito nas listas do PS em 2011, pelo distrito de Viana do Castelo.

O socialista confirmou à Lusa que a suspensão do mandato, inicialmente temporária e que depois passará a definitiva, terá lugar em meados do mês de outubro, em simultâneo com a posse do novo executivo da Câmara de Lisboa, que continuará a ser liderado por António Costa (PS), com Fernando Medina como vice-presidente.

«Foi um enorme gosto ser deputado eleito pelo distrito de Viana do Castelo nos últimos dois anos, uma região que conheço bem. Mas não podia recusar este desafio de fazer parte da equipa do António Costa nesta fase do país e da política nacional», admitiu o ainda deputado socialista.

O PS elegeu em Viana do Castelo, nas legislativas de 2011, dois deputados, além do cabeça-de-lista também Jorge Fão.

A saída de Fernando Medina dará agora lugar a Sandra Pontedeira, que foi número três da lista socialista e que no atual mandato autárquico ainda é vereadora na Câmara de Vila Nova de Cerveira.

Dos seis deputados eleitos por Viana do Castelo (três do PSD, dois do PS e um do CDS-PP), quatro foram candidatos autárquicos nas eleições de domingo.

Além de Fernando Medina, Carlos Abreu Amorim e Eduardo Teixeira, os dois primeiros da lista do PSD nas legislativas, foram cabeças-de-lista, respetivamente, às Câmaras de Vila Nova de Gaia e de Viana do Castelo, ambos derrotados e eleitos vereadores da oposição.

Também o deputado do CDS-PP Abel Baptista liderou a lista daquele partido à Câmara de Monção, tendo igualmente sido eleito apenas vereador da oposição.

A lei só impede os deputados de acumularem aquele cargo com as funções de autarcas quando exercidas a tempo inteiro, como presidentes, vice-presidentes ou vereadores com pelouro.