Ao longo das últimas horas o PS entrou em estado de efervescência. Várias personalidades declararam apoio a António Costa e defenderam que as eleições diretas são a única forma de o PS ter uma liderança forte para as próximas legislativas.

Por causa deste braço de ferro, houve duas demissões no secretariado nacional do PS. O histórico Jorge Lacão e a Presidente da Câmara de Odivelas, Susana Amador, apurou a TVI.

A presidente da Câmara de Odivelas comunicou que, por divergências políticas, pediu a demissão do Secretariado Nacional do PS, o órgão mais restrito de direção dos socialistas.

Susana Amador entrou para a direção do PS logo na primeira equipa constituída pelo secretário-geral socialista, António José Seguro, após a sua primeira eleição como líder, no congresso de Braga em setembro de 2011.