O Partido Socialista considera que Miguel Macedo foi lúcido ao pedir a demissão, característica que não é comum no Governo.  

«Cabe salientar o contraste entre a lucidez do ministro Miguel Macedo com a falta de lucidez quer do primeiro-ministro [Pedro Passos Coelho], quer de outros membros do Governo. A lucidez política que o ministro Miguel Macedo teve ao perceber que não tinha condições para continuar a exercer o seu mandato contrasta com a falta de lucidez política do primeiro-ministro, que, numa primeira fase, entendeu que havia condições para que Miguel Macedo continuasse a exercer funções governativas»


Declarações do deputado Marcos Perestrello, também líder da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS, quis ainda salientar que o primeiro-ministro «pediu» a Miguel Macedo que «ponderasse se realmente queria cessar as suas funções».

«Essa falta de lucidez política transmite-se a outros membros do Governo, que também não têm condições políticas para exercer as suas funções, casos dos ministros da Educação [Nuno Crato] e da Justiça [Paula Teixeira da Cruz, sustentou o vice-presidente da bancada socialista.