«Saio com o exclusivo fundamento nas minhas convicções pessoais e políticas. E só. Não tenho qualquer culpa ou responsabilidade pessoal» no caso dos vistos dourados. «Saio para defender o Governo, a autoridade do Estado e a credibilidade das instituições».


«Não tenho qualquer interferência administrativa na atribuição de visto. Nesta como noutras matérias, tenho pautado sempre a minha conduta pelo escrupuloso cumprimento da lei e da dignidade das instituições. Pessoalmente não sou responsável por nada do que está em causa nestas investigações (...) mas não desconheço que no plano politico as coisas passam-se de maneira diferente».




«Quem eventualmente tenha infringido a lei deve ser responsabilizado pelos seus atos»


já tinha colocado o lugar à disposição na semana passada

Macedo será substituído «em breve»



Miguel Macedo tem ligações a vários arguidos

não visaram membros do Governo





Manuel Palos, diretor do SEF, que está indiciado por dois crimes de corrupção passiva

inquirições aos arguidos do processo arrancaram no sábado, e duraram 12 horasO caso rebentou na quinta-feira



reações do PSrestante oposiçãopartidos da maioriao ministro «fez bem» em sair, porque «não tinha outro caminho»Passos Coelho tem agora «o resultado das eleições nas mãos»forças de segurança