Ascenso Simões demitiu-se da direção de campanha do Partido Socialista e António Costa já nomeou um novo diretor de campanha. Trata-se do vice-presidente da Câmara de Lisboa, Duarte Cordeiro.

A demissão de Ascenso Simões foi anunciada pelo próprio no Facebook e surge depois de os cartazes socialistas terem gerado muita polémica nos últimos dias. Uma polémica que obrigou o partido a pedir desculpas aos envolvidos nos outdoors.

Ascenso Simões escreveu na rede social que informou o secretário-geral do partido da sua decisão, sublinhando que quem é "responsável por uma máquina" deve assumir as suas "falhas" e tirar as respetivas "ilações".


"Quem é responsável por uma máquina deve assumir todas as falhas que ela demonstra, deve tirar ilações de tudo o que, publicamente, se reconhece como erro."

 

Cessação de funções |Acabei de informar o secretário-geral do Partido Socialista da minha decisão de cessar as funções...

Posted by Ascenso Luís Simões on  Sunday, August 9, 2015

Com a nomeação de Duarte Cordeiro, durante o período de campanha será o atual presidente do município lisboeta, Fernando Medina, a assumir os pelouros da Higiene Urbana e da Mobilidade.

Duarte Cordeiro já foi deputado da Assembleia da República e diretor de campanha de António Costa, nas eleições autárquicas de 2013, e de Manuel Alegre, nas presidenciais de 2011.


A polémica que levou à demissão de Ascenso


A polémica estalou depois de vários cartazes do PS, que pretendiam ilustrar que o desemprego tem um rosto, terem sido contestados pelas pessoas que aparecem nos outdoors, que afirmam não terem dado autorização para a sua cara ser usada naquela campanha, segundo noticiou o  Observador. Três dessas pessoas são, de acordo com o jornal online, colaboradores da Junta de Freguesia de Arroios, em Lisboa.



A Junta de Freguesia de Arroios, por sua vez, já fez saber que rejeita quaisquer responsabilidades na matéria. A Presidente da Junta, Margarida Martins, declarou, no sábado, que a responsabilidade da utilização das fotografias é da organização do PS e que a junta apenas fez a ligação entre o partido e os seus colaboradores. 

Mas antes disto, a campanha publicitária do PS rumo às legislativas de 4 de outubro já tinha sido alvo de muitas piadas nas redes sociais.

Um dos últimos cartazes, por exemplo, foi atacado por mostrar a imagem de uma mulher que ficou desempregada no Governo do socialista José Sócrates.





Esta última série de outdoors que tinha como mote "Não brinquem com os números, respeitem as pessoas" foi, de resto, arrasada nas redes sociais.




As piadas nas redes sociais depressa transformaram-se em críticas, mesmo dentro do próprio PS, com os socialistas mais próximos de António José Seguro a mostrarem o seu descontentamento. António Galamba falou em "disparate" e Rui Paulo Figueiredo utilizou a palavra "surreal".

 

Tanto disparate. Para quem se apresentou como valor seguro para conquistar uma maioria absoluta para o PS, quase com um...

Posted by António Galamba on  Quinta-feira, 6 de Agosto de 2015
 

As piadas começaram, no entanto, com os outdoors que mostravam uma mulher a virar a página sob o lema   "É tempo de confiança".