O deputado socialista João Galamba disse esta segunda-feira que os dados da execução orçamental são “boas notícias” para o país, num momento de turbulência na Europa, considerando que Portugal está no “bom caminho”.

“O que estes dados hoje conhecidos em contabilidade pública nos vêm dizer é confirmar as boas notícias que já tínhamos tido a semana passada e mostrar que o défice tem uma forte redução face ao ano passado e, portanto, estamos no bom caminho para atingir as metas a que nos propusemos no início do ano”, afirmou à agência Lusa João Galamba.

Para o deputado, que se encontra em Ponta Delgada, Açores, a participar nas jornadas parlamentares do PS, “neste momento, com toda a turbulência que existe na Europa e toda a instabilidade que existe na Europa”, pode olhar-se “para Portugal como um país com bastante estabilidade”.

A este propósito destacou que o país tem “a governabilidade assegurada” e “as contas públicas no bom caminho", situações que no panorama atual "são excelentes notícias”.

“Eu acho que no meio de toda esta turbulência, com países a viver situações de instabilidade significativa - Espanha não sabemos se vai haver governo, em Inglaterra é a situação que se sabe, a extrema-direita a subir em muitos países europeus – e Portugal, no meio de toda esta tempestade, tem um Governo que muitos consideravam improvável, mas que tem superado as expectativas e, ao contrário de todos os cenários catastrofistas, temos tido bons resultados nas contas públicas”, acrescentou.

Admitindo que este é “um exercício orçamental difícil” e que o Governo, liderado por António Costa, não vai “agora embandeirar em arco”, João Galamba reconheceu que há, ainda, “um longo trabalho até ao final do ano”.

“Se continuarmos a fazer aquilo que temos feito até aqui, temos todas as razões para estar confiantes na capacidade do país, com devolução de rendimentos e com uma viragem significativa na política seguida, ainda assim ter melhores resultados na consolidação orçamental que o Governo anterior e cumprir as metas."

O défice orçamental em contas públicas fixou-se nos 395 milhões de euros até maio, menos 453 milhões do que no mesmo período do ano passado, segundo divulgou hoje o Ministério das Finanças.

“A execução orçamental de maio registou um défice de 395 milhões de euros, o que representa 7,2% do previsto para o ano (em 2015, representava 18,5% do défice anual)”, refere o ministério tutelado por Mário Centeno, num comunicado anterior à divulgação da síntese de execução orçamental pela Direção-Geral do Orçamento.

A semana passada, o Instituto Nacional de Estatística anunciou que o défice das administrações públicas, em contas nacionais, foi de 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano.

No primeiro trimestre do ano anterior, o défice foi de 5,5% do PIB (-2.344,6 milhões de euros).