PS, PCP e BE vão apresentar na terça-feira um documento consensualizado alternativo ao relatório preliminar da comissão parlamentar de inquérito à compra de material militar, disse à Lusa fonte ligada ao processo.

O documento, intitulado «Relatório viciado, inquérito inacabado», está ainda a ser elaborado por deputados das três bancadas da oposição.

Entretanto, o presidente da comissão, o democrata-cristão, Telmo Correia, prolongou o prazo de entrega das propostas de alteração até às 17:00 de terça-feira.

O relatório preliminar da comissão parlamentar de inquérito às compras de material militar por Portugal, da autoria da deputada social-democrata Mónica Ferro, foi entregue na sexta-feira e conclui não existir «qualquer prova» ou «indício» de ilegalidades por parte dos «decisores políticos e militares nos concursos».

No documento, lê-se que a Comissão Parlamentar de Inquérito aos Programas de Aquisição de Equipamentos Militares (aeronaves EH-101, P-3 Orion, C-295, F-16, torpedos, submarinos U-209 e blindados Pandur II) realizou «o mais exaustivo trabalho de audição, contraditório e recolha documental até hoje realizado na Assembleia da República» sobre o assunto.

«Dos trabalhos da comissão não se retirou qualquer prova ou sequer indício de cometimento de ilegalidades pelos decisores políticos e militares nos concursos analisados», atesta a deputada-relatora, a social-democrata Mónica Ferro, garantindo que «nenhum decisor político atual ou antigo ficou por ouvir» e que «nenhuma pergunta ficou por fazer».