O debate sobre o Estado da Nação ficou agendado para 8 de julho, na conferência de líderes parlamentares, que acordaram também a terceira semana de julho, indicativamente, como a do plenário final da legislatura.

Relativamente aos nomes propostos pelos partidos para substituírem Silva Peneda à frente do Conselho Económico e Social, uma vez que aquele responsável foi assessorar o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, o deputado-secretário da Mesa do parlamento, Duarte Pacheco, disse apenas que a Presidente da Assembleia da República alertou os grupos parlamentares para o facto de o prazo para apresentação de candidatos terminar pelas 18 horas desta quarta-feira.

Assunção Esteves e os dirigentes das várias bancadas marcaram também seis debates potestativos da responsabilidade de cada uma das cores representadas para junho, embora os temas só tenham de ser apresentados 10 dias antes.

Assim, "Os Verdes" terão a sua iniciativa a 3 de junho e no dia seguinte, véspera de debate quinzenal com o primeiro-ministro (5 de junho), será a vez do PSD. O maior partido da oposição terá o seu agendamento potestativo a 11 de junho, um dia antes do CDS-PP, enquanto BE e PCP reservaram para si os dias 17 e 18 de junho, respetivamente.

Antes, ainda este mês, os deputados bloquistas vão efetuar uma interpelação ao Governo a 28, ainda sem se conhecer o tema. O dia 29 de maio ficou reservado para as eventuais iniciativas legislativas relacionadas com instituições financeiras e decorrentes do inquérito parlamentar ao universo Espírito Santo.

Em 22 de maio, dois dias após outro debate quinzenal com a presença de Passos Coelho, a privatização da TAP vai estar em discussão em São Bento, através de um projeto de lei do PCP e duas petições públicas. Nesse mesmo dia, o PS vai defender um projeto de resolução que recomenda um concurso para a admissão de mais inspetores para a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).