Para Joana Amaral Dias, o debate televisivo entre Pedro Passos Coelho e António Costa foi uma "espécie de luta de galos".

"Só vi Pedro Passos Coelho a falar do passado, neste caso o passado que se chamava José Sócrates, e vi António Costa a falar do passado, e neste caso o passado chamava-se Pedro Passos Coelho"


A cabeça de lista da coligação Agir, em Lisboa, disse ainda à agência Lusa que os dois líderes políticos estiveram "muito pouco preocupados com os verdadeiros problemas do país", antes " centrados numa espécie de luta de galos" que não trouxe "clareza" aos portugueses.

"Quem devia ganhar alguma coisa com estes debates são os espetadores", prosseguiu a antiga deputada do Bloco de Esquerda.

A cabeça de lista da coligação Agir em Lisboa assumiu já estar a enfrentar uma gravidez de risco, que terá consequências na campanha eleitoral para as legislativas de 4 de outubro.

Caso seja eleita, gozará a respetiva licença de parto, sendo substituída por um elemento da mesma plataforma - Nuno Ramos de Almeida -, como ficou acordado com as restantes forças políticas que formam a coligação: Partido Trabalhista Português (PTP) e Movimento Alternativa Socialista (MAS).