O secretário-geral do PCP defendeu esta terça-feira que as eleições legislativas devem realizar-se em outubro, argumentando que em setembro muitas pessoas ainda não terminaram as férias e é também o mês do arranque do novo ano letivo.

"Referenciámos as datas disponíveis de outubro [dias 04 e 11], sustentados num argumento que deve pesar na consideração da data das eleições para a Assembleia da República: a data tem que permitir o máximo de participação possível nessas eleições por parte dos portugueses e por parte de todos aqueles que querem de facto participar nas eleições", afirmou o líder comunista, Jerónimo de Sousa.


Jerónimo de Sousa, que falava aos jornalistas no final de uma audiência com o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, que está esta terça-feira a ouvir os partidos com vista à marcação da data das próximas eleições legislativas, argumentou que setembro também seria "um mês possível", mas tem a "dificuldade objetiva que muita gente ainda não acabou as suas férias", além de que há agora "a possibilidade de arrastamento de uma semana para a abertura do ano escolar", o que, do ponto de vista dos comunistas, condiciona a participação.

"Este é o argumento que colocámos", sublinhou.

Interrogado sobre eventuais atrasos na elaboração do Orçamento do Estado para 2016, o secretário-geral do PCP recordou que, à exceção de 2009, todas as eleições legislativas se realizaram em outubro.

"Não vai ser um problema, tendo em conta a experiência passada", enfatizou, de acordo com a Lusa.

Além do PCP, o Presidente da República já ouviu o partido ecologista Os Verdes e o BE.

Tal como os comunistas, Os Verdes defenderam a realização das eleições em outubro. O BE apontou 27 de setembro ou 04 de outubro como as "datas aconselháveis".

De acordo com a Constituição da República, as eleições legislativas terão de se realizar entre os dias 14 de setembro de 14 de outubro.