O antigo ministro da Economia Daniel Bessa vai manter, pelo menos «para já», o silêncio sobre a sua renúncia ao cargo de presidente da Assembleia Municipal do Porto.

Daniel Bessa disse apenas que a sua indisponibilidade para continuar no órgão deliberativo municipal do Porto foi manifestada numa brevíssima carta.

«A única coisa que posso dizer sobre essa carta é que tem uma única linha», afirmou, em declarações à Lusa, nesta quinta-feira.

Na edição de hoje, o Diário de Notícias lembra que as declarações do presidente da Câmara, Rui Moreira, sobre o novo Quadro Comunitário de Apoio coincidiram com a demissão de Daniel Bessa da presidência da Assembleia Municipal, que também renunciou ao mandato de deputado municipal, mas o economista nada adiantou a propósito.

O DN escreve que fontes autárquicas portuenses sublinharam a coincidência da saída e lembraram o facto de Daniel Bessa integrar o comité de especialistas que está a ajudar o ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional a delinear o novo modelo de atribuição de fundos comunitários à regiões.

O jornal diz ter confirmado junto do Governo que Daniel Bessa se mantém naquele grupo informal de personalidades que foram convidadas por Poiares Maduro para ajudar a elaborar os programas operacionais destinados às diferentes regiões do país.

O presidente da Câmara do Porto tem-se manifestado preocupado com a distribuição dos fundos pelas regiões e sobre os prazos de candidatura ao quadro comunitário de apoio 2014-2020, prometendo que a «cidade não se vai calar» sobre esta matéria.