A Paisagem Cultural de Sintra vai hoje ser “desenhada” pelos Urban Sketcher para assinalar os 20 anos da classificação como Património Mundial da UNESCO e nas comemorações é também esperado o ministro da Cultura, João Soares.

Segundo a autarquia, João Soares regressa ao município onde já foi vereador socialista e, numa sessão solene no Palácio Nacional de Sintra, o presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), terá entre os convidados o vereador do Urbanismo e Património da Câmara de Bruxelas.

Os autores do coletivo Urban Sketcher vão registar graficamente a vila e a serra, classificadas em 06 de dezembro de 1995 pelo comité do Património Mundial da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

A denominada zona “inscrita” da Paisagem Cultural concentra os parques da Pena e de Monserrate, e respetivos palácios, o Castelo dos Mouros, o Convento dos Capuchos e o antigo Paço Real, na vila, a zona “tampão” estende-se pela serra até ao litoral e a “de transição” prolonga-se pela área do Parque Natural de Sintra-Cascais.
 

“Quer as autoridades nacionais, quer as autoridades autárquicas têm a noção de que é um espaço privilegiado que urge preservar e valorizar. E, portanto, não penso que alguma vez este estatuto possa ser perdido, isso seria dramático”, afirmou à Lusa a deputada Edite Estrela (PS), que presidia ao município quando a vila foi classificada.


A presidente da comissão nacional da UNESCO, Ana Martinho, sublinhou que a classificação se traduz em “maior visibilidade e promoção turística”, mas “o eventual acréscimo de turistas não pode, de facto, colocar em causa os valores do bem, pelo que a sua gestão requer um cuidado acrescido e exigente”.

O município e a Parques de Sintra-Monte da Lua constituíram, em setembro, o Gabinete do Património Mundial - Paisagem Cultural de Sintra, que vai acolher também um novo centro UNESCO, o qual “poderá desempenhar um papel fundamental na preservação” de Sintra, explicou à Lusa a embaixadora Ana Martinho.