O conselho nacional do PSD desta terça-feira decorreu noite dentro e discutiram-se muitas coisas, mas não houve novidades sobre uma eventual coligação com o CDS-PP. Passos Coelho remeteu essa decisão para mais tarde, num conselho extraordinário a realizar. E falou em maioria absoluta.

Segundo a TVI apurou à porta do conselho nacional,  o presidente do PSD fez questão de matar o assunto, dizendo que ainda não é tempo de decidir sobre a coligação e será convocado conselho nacional extraordinário para discutir essa matéria. Em abril já será complicado pelo que, ao que tudo indica, deverá ter lugar em maio.

De resto, o também primeiro-ministro chegou mesmo a falar num caminho rumo à maioria absoluta. Não quer ver ninguém preocupado com derrotas. Quer apostar num cenário com vitórias. E com uma vitória esmagadora.

Na semana passada, Passos Coelho já se tinha mostrado despreocupado com cenários eleitoralistas. « Estou muito confortável com a situação que se vive», chegou a dizer.

As informações que conseguimos apurar hoje indicam, por outro lado, que nunca terá a tentação de fazer uma coligação com o Partido Socialista. O entendimento tem sido difícil e tanto Passos Coelho como António Costa têm-se desdobrado em iniciativas de pré-campanha eleitoral, tentando vincar as suas diferenças.

Ainda esta terça-feira à noite, o líder do PS acusou o primeiro-ministro de estar «enganado» nas suas prioridades. 

No programa Política Mesmo, na TVI24, o comentador socialista Augusto Santos Silva considerou que «o melhor que pode acontecer ao PS é o PSD e o CDS irem coligados» às legislativas