O secretário-geral do PS, António José Seguro, escreveu este sábado, na sua página da rede social Facebook, que é o líder legítimo do seu partido, razão pela qual não se demite do cargo.

«Face à situação provocada na última semana dentro PS, não quero que restem dúvidas: sou o líder legítimo do PS e não me demito», frisou o líder socialista, numa nota que resume o teor da intervenção que proferiu perante a Comissão Nacional do PS, que decorre em Vimeiro, Torres Vedras.

António José Seguro apresentou também uma explicação para a sua proposta de realização de eleições primárias abertas a simpatizantes para a escolha do candidato socialista a primeiro-ministro.

«Não fujo de desafios e por isso proponho que o processo de escolha do candidato do PS a primeiro-ministro seja feito através de eleição direta, aberta a militantes e a simpatizantes do PS», escreveu António José Seguro.

No mesmo texto, o líder socialista referiu ainda que «o PS vai apresentar um projeto de reforma da lei eleitoral para redução do número de deputados, reforço do regime de incompatibilidades dos deputados e possibilidade de escolha dos deputados dentro de um partido».

Comissão Nacional rejeita discutir proposta para Congresso extraordinário

Costa insiste em Congresso extraordinário