O candidato único a presidente do PS, Carlos César, afirmou esta sexta-feira esperar que o congresso seja um momento de «reconciliação» com o sentimento das pessoas, do qual saia um partido «mais íntegro» na relação com os eleitores.

Estas posições constam de uma declaração feita por Carlos César à agência Lusa, na véspera de ser eleito presidente do PS no XX Congresso Nacional do PS, que se realiza entre sábado e domingo no Parque de Exposições da Feira Industrial de Lisboa (FIL).

«Depois de umas eleições primárias que tiveram uma ampla participação de simpatizantes e de cidadãos independentes, espero que este congresso seja mais um momento de aproximação do PS em relação às aspirações dos portugueses. Espero que o congresso seja um momento de reconciliação da vida partidária com o sentimento das pessoas, um fórum em que as questões centrais se desenvolvam à volta da discussão e da contribuição para o reforço da proximidade do partido com os cidadãos», afirmou o ex-líder do Governo Regional dos Açores, que sucederá à ex-ministra Maria de Belém Roseira nas funções de presidente do PS.

Ainda de acordo com Carlos César, do Congresso Nacional do PS "deve sair um partido mais íntegro na sua relação com os eleitores, mais conhecedor dos problemas nacionais e europeus, ou seja, um PS merecedor de uma vitória nas próximas eleições legislativas".

«O PS deve também contribuir para o desfecho com sucesso de outros atos eleitorais, como os que vão acontecer para a Presidência da República e para as legislativas regionais. Em síntese, o objetivo é que seja um congresso que prepare o partido para dar a sua melhor contribuição ao país», acrescentou o futuro presidente dos socialistas.