O PSD do Algarve retirou a confiança política ao seu vereador na Câmara de Portimão, depois do autarca ter assinado um acordo com o executivo socialista à revelia do partido, disse esta segunda-feira o presidente da distrital social-democrata.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do PSD/Algarve, Luís Gomes, disse que a retirada da confiança política ao vereador Pedro Xavier surgiu na sequência de uma «violação dos estatutos, ao assinar unilateralmente um acordo com o executivo socialista sem o conhecimento dos órgãos competentes do partido».

Pedro Xavier, presidente da concelhia e o único vereador eleito para a Câmara de Portimão pelo PSD, nas autárquicas de setembro de 2013, assinou um acordo que permite ao executivo liderado por Isilda Gomes (PS) governar com maioria, em troca de um lugar permanente na vereação com pelouros atribuídos.

«Não podemos subscrever acordos que não respeitem as normas e os estatutos do partido», sublinhou Luís Gomes, acrescentando que o vereador foi notificado pessoalmente da decisão, uma vez que esteve presente na reunião dos órgãos distritais, realizada no dia 24 de janeiro.

O presidente do PSD do Algarve considerou que o acordo representa uma «deslealdade institucional», porque não foi ratificado, nem dele foi dado conhecimento prévio aos órgãos do partido.

«É um acordo que não vincula o partido e em que nós não nos revemos e havendo uma deslealdade institucional destas, tem de haver naturalmente a retirada da confiança politica», observou.

Segundo Luís Gomes, o processo da decisão dos órgãos distritais vai ser enviado ao conselho de jurisdição nacional que analisará e «tomará as decisões que entender à luz dos regulamentos e dos estatutos» do PSD.

Em Portimão, nas últimas eleições autárquicas, o PS foi a força mais votada com 30,5 por cento dos votos, elegendo três vereadores, seguido da coligação CDS-PP/MPT/PPM (18,96%), PSD (16,67%), BE (12,28%) e da CDU (12,11%), que elegeram um vereador cada um.