O porta-voz do PSD afirmou hoje que o novo quadro comunitário de apoio será «mais bem aproveitado» se os municípios se associarem, considerando que desta associação territórios de baixa densidade poderão, no futuro, afirmar o seu potencial.

«O novo quadro comunitário, que terá à disposição de Portugal nos próximos sete anos mais de 21 mil milhões de euros, será mais bem aproveitado, mais bem utilizado se os municípios se associarem - como agora podem e o estão a fazer - na sequência» da reforma legislativa de 2012, disse Marco António Costa.

O dirigente falava à margem da reunião da Comissão Política Nacional do PSD, que se realizou em Ansião, no distrito de Leiria, tendo como um dos assuntos a análise do relatório sobre «Territórios de baixa densidade/territórios de elevada potencialidade».

Marco António Costa, um dos vice-presidentes do partido, enumerou o «conjunto de programas» e iniciativas do Governo, de maioria PSD/CDS-PP, para estes territórios, como o «Valorizar», que permite «iniciativas de natureza económica e territorial» potenciem «as capacidades endógenas de cada uma destas regiões», ou o «Aproximar», para «racionalizar o serviço ao cidadão».

«Em vez de termos uma administração pública dispersa por repartições, temos uma administração pública concentrada e que atende de forma integrada o cidadão, evitando que ele tenha de percorrer um conjunto muito alargado de repartições públicas para obter o mesmo objetivo», exemplificou o responsável, destacando, ainda, o «+ Superior» e o «Porta a porta», este último que classificou como «inovadora» e que associa a sociedade civil, autarquias locais, operadores de transportes e o Estado central para «criar soluções para os territórios de baixa densidade poderem dispor de transportes públicos».

Segundo Marco António Costa, o documento «Territórios de baixa densidade/territórios de elevada potencialidade», que será, também, objeto de análise no primeiro Conselho Nacional do PSD, que decorre à tarde, «tem sete pilares fundamentais que apontam linhas de atuação política muito claras» que, na ótica do partido, «serão fundamentais para que no futuro estes territórios, para além de serem territórios, de baixa densidade», sejam também «territórios de elevado potencial».

«Será transformar as dificuldades que hoje vivem muitos destes territórios, apesar de todas estas iniciativas que temos tomado, em territórios que, no futuro, possam afirmar o seu elevado potencial», acrescentou.

A anteceder o Conselho Nacional, o primeiro temático, que começa pelas 15:00, a Comissão Política Nacional reúne-se com os responsáveis das distritais do PSD num almoço de trabalho.