O dirigente socialista António Costa saiu este domingo da Comissão Nacional do PS num ambiente de grande confusão e tensão, recebendo algumas palmas, mas com uma dezena de populares a mandarem-no para Lisboa e a gritarem «Seguro».

Em Ermesinde, concelho de Valongo, concentraram-se várias dezenas de pessoas à porta do Centro Cultural do município, onde decorreu a Comissão Nacional do PS.

A maioria dos populares começou primeiro por aplaudir o secretário-geral do PS, António José Seguro, quando saiu da reunião da Comissão Nacional.

Dois ou três minutos depois, foi a vez de António Costa abandonar o edifício e começar a prestar declarações aos jornalistas.

António Costa recebeu então algumas palmas, mas cinco mulheres iniciaram um coro de protestos contra o autarca de Lisboa, começando logo a chamar-lhe «borra-botas» e «vai-te embora», atitude que foi seguida por outras pessoas.

Ouviam-se também gritos «Seguro, Seguro» ou «traidor, traidor», enquanto alguns dirigentes socialistas apoiantes de Costa tentavam acalmar os populares que se insurgiam contra o presidente da Câmara de Lisboa.

António Costa prestou declarações aos jornalistas, tentando ignorar o ambiente de confusão que o rodeava e que foi inédito em reuniões internas socialistas.