O Governo português está “muito satisfeito” com a decisão do Presidente eleito, Marcelo Rebelo de Sousa, em escolher Paris para as comemorações oficiais do Dia de Portugal, disse esta segunda-feira à Lusa o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

“Ficamos muito satisfeitos com essa decisão do Presidente da República, porque se trata do reconhecimento de uma nova abordagem da relação das instituições portuguesas com os portugueses que vivem no estrangeiro”, referiu José Luís Carneiro à Lusa numa declaração por telefone, e após o diário Público ter anunciado na sua edição desta segunda-feira a decisão do próximo chefe de Estado em comemorar a data na capital de França.

O jornal adianta que o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa, também participam nas celebrações do 10 de junho em Paris, e acompanhados na festa reservada à comunidade lusa pelo chefe de Estado francês, François Hollande.

“O próprio primeiro-ministro, na mensagem que transmitiu ao corpo diplomático em dezembro tinha feito questão de assinalar a sua vontade de estar com os portugueses no dia 10 de junho”, recordou o secretário de Estado, antes de sublinhar que no programa do Executivo também está expressa a preocupação de modificar “para melhor” o conceito da relação estabelecida entre as instituições portuguesas e os portugueses que vivem no estrangeiro.

 

“Esta decisão efetivamente altera a perceção que há em Portugal dos portugueses que se encontram fora como também a própria perceção dos portugueses que olham para o seu país com a vontade de participarem na construção do nosso devir coletivo”, sublinhou José Luis Carneiro.

O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas considerou ainda que chegou o tempo “de se começar a falar dos 15 milhões de portugueses” que vivem em Portugal, e pelo mundo.

“Muitas das vezes quando falamos dos portugueses falamos de dez milhões, nós devemos começar a falar dos 15 milhões de portugueses que se encontram hoje em Portugal e também nos países das várias geografias culturais e das várias identidades e ao mesmo tempo olhar para os portugueses que vivem nas múltiplas geografias do mundo como uma das dimensões mais importantes da inserção de Portugal no mundo global, e ao mesmo tempo de relação do mundo global com os territórios do país”, sustentou.

José Luis Carneiro assinalou ainda um dado que considerou importante “ e que muitas vezes nos escapa” sobre a relação da diáspora portuguesa com as suas regiões de origem. “Quando regressam ao seu país definitiva ou temporariamente, mais de 90% dos portugueses fazem-no pela via da sua freguesia”, assinalou.

O membro do Executivo fez questão de concluir com um elogio reforçado a uma das primeiras medidas do próximo chefe de Estado, que toma posse na quarta-feira: “Ficamos muito felizes, satisfeitos, reconhecidos, por esta decisão do Senhor Presidente da República de poder passar o dia 10 de junho com os portugueses, que vivem neste caso em França”.