"A intervenção do Presidente da República nesta matéria levanta-nos preocupações, até pela forma e pelo exemplo que deu, com a [lei de] liquidação da reforma agrária. Mostra um caráter vingativo das transformações e conquistas de Abril", disse à Agência Lusa o líder do PCP, Jerónimo de Sousa.


"A lei atual permite que haja liberdade de imprensa, um valor em si mesmo, que não pode crucificar nem colidir com princípios de isenção e imparcialidade e também de não-discriminação", considera, por seu turno, Jerónimo de Sousa.