O secretário-geral socialista, António Costa, lamentou esta quinta-feira a decisão de Alfredo Barroso de se demitir do (PS leia a declaração de Alfredo Barroso), mas adiantou que procurará pessoalmente esclarecer o fundador do partido sobre a correta interpretação da sua intervenção perante a comunidade chinesa.

Esta posição foi transmitida à agência Lusa por António Costa, depois de Alfredo Barroso, antigo chefe da Casa Civil do Presidente da República Mário Soares, ter anunciado a sua demissão do PS.

«Tenho muita estima e consideração por Alfredo Barroso, respeito qualquer que seja a sua decisão. Lamento-a», declarou o secretário-geral do PS, que ainda acrescentou:

«Procurarei contextualizar-lhe pessoalmente a minha intervenção para que a possa interpretar corretamente», frisou António Costa.


Alfredo Barroso anunciou a sua demissão do PS, classificando como «vergonhosa» a intervenção de António Costa aquando das comemorações do novo ano chinês, na semana passada, no Casino da Póvoa de Varzim.

«Como nós dizemos em Portugal, os amigos são para as ocasiões. E, numa ocasião difícil para o país, em que muitos não acreditaram que o país tinha condições para enfrentar e vencer a crise, a verdade é que os chineses, os investidores, disseram presente, vieram e deram um grande contributo para que Portugal pudesse estar hoje na situação em que está, bastante diferente daquela que estava há quatro anos atrás», disse, na altura, o líder socialista, António Costa, ao agradecer o apoio dos investidores chineses em Portugal, como recorda a Lusa.