O economista César das Neves considera que António Costa já tomou a decisão de ser primeiro-ministro e vai avançar para um governo de esquerda. Um cenário traçado esta terça-feira à noite no programa "Olhos nos Olhos", na TVI24, e que pode obrigar o país a pedir um novo resgate. 

"Se houvesse algum juizo iríamos continuar a consolidação orçamental, iríamos tratar do problema da parte privada: estamos com a menor taxa de poupança da história de Portugal. O país não pode resistir com uma taxa de poupança  abaixo dos 5%". Com um governo de esquerda, o que César das Neves espera é uma "enorme quantidade de irrealismo" quanto a estes problemas. 

Entende, por isso, que "há uma forte probabilidade" de um novo pedido de ajuda financeira, se PS vier a coligar-se com o PCP e BE. "Mesmo que as coisas corressem muito bem... Há uma enorme quantidade de imponderáveis, internacionais até".

"Apagámos o fogo e conseguimos, mas a situação está ainda muito frágil, já não temos labaredas que tínhamos, mas a casa ameaça ruir a qualquer momento", advertiu.