A eleição para o Conselho Económico e Social (CES) foi esta sexta-feira novamente adiada devido à falta de consenso entre os dois maiores grupos parlamentares, PSD e PS, disse à Lusa fonte parlamentar.

"Os líderes das bancadas [respetivamente, Luís Montenegro, do PSD, e Carlos César, do PS] estão ainda a conversar sobre a eleição para presidente do CES e solicitaram ao Presidente da Assembleia da República o adiamento da votação para data a estabelecer na próxima conferência de líderes", afirmou a mesma fonte.

A próxima reunião dos presidentes dos grupos parlamentares está marcada para 15 de março.

O CES é atualmente dirigido por Luís Filipe Pereira, que entrou em funções a poucos meses das eleições legislativas, sendo o mandato para aquele órgão externo à Assembleia da República coincidente com cada legislatura.

Com as posteriores formações do segundo Governo PSD/CDS-PP e do atual executivo socialista, a substituição do ex-ministro da Saúde de Durão Barroso, apesar de o PSD defender a continuidade, foi sendo adiada.

A eleição para o CES exige maioria de dois terços dos deputados, forçando assim um acordo entre partidos. Luís Filipe Pereira sucedeu neste órgão constitucional de consulta e concertação social a José Silva Peneda, o qual se tornou conselheiro especial do presidente da Comissão Europeia, o luxemburguês Jean Claude Juncker, em Bruxelas.