logotipo tvi24

Enriquecimento ilícito: BE diz que é preciso mudar lei

Bloquistas consideram «normal» decisão de Cavaco

Por: tvi24    |   2012-03-10 16:55

O BE considerou hoje «normal» a decisão do Presidente da República de enviar para o Tribunal Constitucional o diploma que cria o crime de enriquecimento ilícito e que essa é uma competência sua, defendendo que é necessário alterar a lei para «um combate eficaz à corrupção».

O «BE entende esta decisão do senhor Presidente da República como normal, portanto, este pedido ao Tribunal Constitucional da fiscalização preventiva é uma competência do Presidente da República», afirmou à agência Lusa a deputada do BE Cecília Honório.

Cecília Honório referiu que resta ao Parlamento «aguardar pela avaliação que o Tribunal Constitucional fará», mas disse que a sua bancada está certa de que «é necessária uma alteração do quadro legal para um combate eficaz à corrupção».

O Presidente da República enviou ao Tribunal Constitucional, para efeitos de fiscalização preventiva da constitucionalidade, o Decreto nº 37/XII da Assembleia da República», lê-se numa nota divulgada hoje no site da Presidência da República.

Segundo a nota, «atendendo às diversas questões suscitadas em torno da constitucionalidade deste diploma, que pode pôr em causa princípios essenciais do Estado de direito democrático», Cavaco Silva entendeu que a sua entrada em vigor deve ser precedida da intervenção do Tribunal Constitucional para que «a criminalização do enriquecimento ilícito se processe sem subsistirem dúvidas quanto a eventuais riscos de lesão dos direitos fundamentais de todos os cidadãos».

O diploma foi aprovado na Assembleia da República a 10 de fevereiro, com os votos contra do PS.

Partilhar
EM BAIXO: Cecília Honório
Cecília Honório

«Não ter tempo de ler relatório é uma falta de respeito»
Constança Cunha e Sá critica Governo por não revelar cortes nas pensões
Capitães de Abril não discursam no Parlamento
Reunião da Presidente da Assembleia da República com os líderes parlamentares terminou sem consenso
«Taxar produtos nocivos será medida de saúde pública»
Mais do que orçamental, garante o secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde
EM MANCHETE
Benfica vira clássico e está na final
Taça de Portugal: encarnados venceram dragões por 3-1: uma reviravolta que vale bem mais do que a ida ao Jamor
25 de Abril: Capitães de abril não discursam no Parlamento
Portas: desagravamento de IRS ainda «nesta legislatura»