O eurodeputado João Ferreira apelou, esta segunda-feira, ao «voto útil» na CDU, argumentando com a inutilidade de votar nos «partidos das troikas» (PS, PSD e CDS-PP) para «romper com o caminho das troikas».

«Cada um deve ter, relativamente às afirmações que profere, o sentido do ridículo. O voto útil para romper com o caminho das troikas nunca pode ser nos partidos das troikas. O voto útil para tirar o país na situação em que ele se encontra nunca pode ser nos partidos que o trouxeram a esta situação», reagiu, quando questionado sobre as afirmações do socialista e ex-candidato à Presidência da República Manuel Alegre.

O antigo deputado do PS lembrara a ocasião em que o histórico líder do PCP, Álvaro Cunhal, apelara ao «voto útil» no socialista Mário Soares contra o democrata-cristão Freitas do Amaral, nas eleições presidenciais de 1986.

O eurodeputado e recandidato comunista frisou que a opção pela CDU «é um voto útil contra as troikas, útil por esta política patriótica e de esquerda», diferente dos «partidos do arco da dívida» (PS, PSD e CDS-PP).

João Ferreira apelou ainda aos indecisos para que não engrossem o «rio inconsequente da abstenção». «Muitos estão indecisos ainda sobre a utilidade do voto. Pensam se devem ou não votar nestas eleições. Há muitos portugueses descontentes e pensam encaminhar esse descontentamento para o rio inconsequente da abstenção. Aquilo que lhes estamos a dizer é que há uma utilidade a dar ao seu voto», afirmou.