O líder da CDU, Jerónimo de Sousa, admitiu que os comunistas podem perder entre nove a dez câmaras nestas autárquicas. Na reação aos resultados eleitorais, Jerónimo lamentou que seja o PS, e não a CDU, a sair reforçado destas eleições. 

A perda de presidências de câmaras municipais, que pode atingir nove ou dez, é sobretudo uma perda para as populações que não demorarão a perceber o quanto errada foi essa opção. Uma perda na presença do trabalho devidamente valorizada para ser uma realidade permanente, uma perda para os direitos das autarquias, para o serviço público, para o ambiente, para a participação democrática." 

O secretário-geral comunista lamentou que os portugueses que saudaram "o poder decisivo da CDU na derrota do governo PSD/CDS",  não tenham ganho "a consciência de que as suas possibilidades de ir mais longe e seguir em frente seriam sobretudo asseguradas com o reforço da CDU e não do PS".

No entanto, ressalvou que "nestes concelhos, como em todos os outros, é com a CDU que a população continuará a contar para fazer valer os seus direitos".

Os trabalhadores e o povo sabem que continuaremos a nossa ação. Sabem que não desertaremos da vida local durante quatro anos para regressar uns meses antes das próximas eleições", acrescentou Jerónimo.

E deixou o aviso: PCP e PEV não se vão deixar condicionar por resultados eleitorais.

 Que outros não julguem que nos deixaremos condicionar mediante resultados eleitorais.(...) Amanhã cá estaremos como sempre estivemos, com a mesma confiança e determinação",