O candidato europeu comunista exortou esta quarta-feira o PS a assumir a reposição dos rendimentos retirados a «reformados, pensionistas e idosos» e não somente o fim da Taxa Social Única (TSU) dos reformados, como prometido na terça-feira pelo líder socialista.

«Já sabemos todos que este período eleitoral é propício a todo o tipo de promessas. Aí temos agora o PS novamente com um conjunto de pontos para um programa de Governo, com um conjunto de promessas, algumas delas também para os reformados, pensionistas e idosos. Falam em acabar com a dita TSU dos reformados», criticou João Ferreira, num almoço com aposentados, no Sindicato Mineiro de Aljustrel.

Para o eurodeputado da CDU, «o compromisso que é necessário assumir e que os pensionistas reformados e idosos esperam não é acabar com uma das muitas formas que arranjaram de lhes ir ao bolso, é que reponham todos os rendimentos, que tudo, mas tudo, o que lhes foi retirado lhes seja devolvido».

«Ainda há pouco tempo, na Assembleia da República, em sede de debate do Orçamento do Estado, fizemos novas propostas para aumento das reformas, começando pelas mais baixas. Fizemos uma proposta de atualização de 4,7%. A verdade é que foi chumbada, mas não apenas com os votos dos partidos do Governo. Foi chumbada pelo PSD, pelo CDS, mas também pelo PS, que agora vem fazer promessas aos reformados, pensionistas e idosos», criticou.

O secretário-geral do PS, António José Seguro, prometeu na terça-feira, «sob palavra de honra», devolver o valor das reformas cortadas aos pensionistas e acusou o primeiro-ministro de não estar à altura para governar o povo português, em Santa Maria de Lamas.