O PSD defendeu esta quinta-feira que os dados do INE sobre o crescimento económico e o emprego comprovam que o país está melhor, com efeitos na vida quotidiana das pessoas, e inspiram confiança.

Esta posição foi defendida pelo líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, depois de terem sido divulgados dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) segundo os quais a economia portuguesa cresceu 0,9% em 2014 e a taxa de desemprego desceu para 13,3% em janeiro deste ano, um valor inferior em 0,3 pontos percentuais ao de dezembro e em 1,7 pontos face ao período homólogo do ano anterior.

«É, portanto, caso para dizer, com a independência que todos podemos ter relativamente ao desenrolar dos acontecimentos, que efetivamente o país está melhor e a vida quotidiana das pessoas começa também a absorver essas melhorias. Há mais oportunidades de emprego, há mais investimento, há mais capacidade de a economia poder mostrar todo o seu dinamismo e toda a sua competitividade», declarou Luís Montenegro aos jornalistas, nos Passos Perdidos da Assembleia da República.


«Não obstante alguns riscos e algumas incertezas, que decorrem sobretudo da componente externa, a verdade é que o país tem mostrado esta capacidade», acrescentou.

Segundo o líder parlamentar do PSD, os dados hoje divulgados pelo INE confirmam o discurso da atual maioria relativamente à evolução do país e «inspiram confiança em relação ao percurso que Portugal tem percorrido ao longo dos últimos anos».

Luís Montenegro referiu que em 2014 a economia portuguesa manifestou uma capacidade exportadora «como nunca tinha tido» e que Portugal bateu recordes no turismo.

O líder parlamentar do PSD destacou a descida da taxa de desemprego ao longo dos últimos dois anos, qualificando-a de «muito consistente».

«Inspira confiança. Faz com que os portugueses possam acreditar no caminho que estamos a trilhar e que num futuro próxima possa ainda mais evidentemente ser repercutido na vida quotidiana das pessoas», cita a Lusa.



Também o líder parlamentar do CDS-PP defendeu que os dados da economia divulgados pelo INE consubstanciam o «consenso alargado» de que o país «conseguiu recuperar», e está a crescer e a criar emprego. 

«Há cada vez mais um consenso alargado de que Portugal conseguiu recuperar, conseguiu cumprir o programa de ajustamento, está a conseguir crescer, criar emprego, combater a maior fratura social, que é o desemprego. Esse consenso é reconhecido por todos e até esta semana pelo secretário-geral do PS», afirmou Nuno Magalhães, numa referência às declarações de António Costa perante a comunidade chinesa.


Para o presidente do grupo parlamentar centrista, as estatísticas hoje conhecidas «confirmam a trajetória quer de crescimento, quer de criação de emprego, quer de combate ao desemprego», fixando-se o número das pessoas sem trabalho em valores «muito próximos daqueles que Governo encontrou em 2011, num país na bancarrota».

«É particularmente significativo se tivermos em consideração que nos últimos dois anos, com exceção de um mês, o desemprego baixou consecutivamente e consistentemente. É mais do que um sinal, é mais do que uma tendência, é uma realidade», afirmou, sublinhando que tenha acontecido também em janeiro, mês em que tradicionalmente há um ressentimento provocado pelo emprego sazonal.


«Com base no aumento e na recuperação de poder de compra dos portugueses há mais consumo interno, tripé que nós sempre identificámos. Há também mais exportações para mais sítios, e há também um aumento do investimento no nosso país», disse.