Paulo Portas acusou este sábado António Costa de querer desrespeitar a vontade dos portugueses e votar contra o programa de Governo de PSD e CDS-PP, no caso de a coligação ganhar as eleições. Em Amarante, o líder da coligação PàF, diz que este é um "caso inédito" na democracia portuguesa.

“O líder do maior partido da oposição já não fala na hipótese de ganhar, agora já só diz o que fará se perder. Radicalizou, e os eleitores de centro querem compromisso e estabilidade. (…) Então os portugueses votam e não é respeitada a sua vontade? Não pensam no país. É só bota-abaixo, só bota-abaixo”


Paulo Portas reagia à notícia do semanário Expresso, que indica que António Costa, caso não vença as eleições, se prepara para tentar impedir a aprovação do programa de governo.

“Isto é grave: o PS não respeita a vontade popular. Quando o eleitorado vota, faz a sua escolha, e no dia seguinte o governo deve ter condições para governar”


O responsável acusa ainda o PS de já não ter um projeto construtivo para o país e de o ter substituído pelo desígnio de construir uma “maioria negativa”, já que, argumenta, o PCP e os socialistas não se entendem em questões essenciais.

“Uma maioria negativa destas só traz instabilidade política, paralisia a economia. E eu peço aos eleitores do centro que olhem bem para isto”