O líder parlamentar do CDS-PP lembrou este sábado que os socialistas, que anunciaram a intenção de criar uma comissão de inquérito sobre o negócio dos submarinos, tomaram decisões sobre o assunto e rejeitou «dar palco» ao maior partido da oposição.

«Não deixa de ser curioso que o PS venha levantar essa questão, quando foi o Governo do PS que lançou o concurso para os submarinos e que, na altura queria quatro e não dois (submarinos). Que eu me lembre, pelo menos, oito ministros da Defesa do PS tomaram decisões sobre essa matéria», disse, à chegada ao XXXV Congresso do PSD, no Coliseu dos Recreios, em Lisboa.

O líder parlamentar socialista, Alberto Martins, anunciou também este sábado, no Porto, que a bancada socialista vai avançar com um pedido de constituição de comissão de inquérito parlamentar ao processo de aquisição de submarinos e de viaturas blindadas pelo Estado Português, algo concretizado enquanto o líder do CDS-PP e atual vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, era ministro da Defesa.

«Sempre que há eleições aparecem coisas sobre os submarinos, eu acho que deve ser sobre as europeias. Parlamentarmente, no palco próprio, nós, com normalidade, iremos ver», continuou Magalhães, adiantando não estar no congresso dos sociais-democratas para "dar palco ao PS".