A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, afirmou esta terça-feira que os dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) sobre o decréscimo das exportações portuguesas são preocupantes e mostram que o Governo “não está a fazer o suficiente” para ajudar as empresas.

“É naturalmente preocupante”, disse a presidente dos centristas no final da visita que efetuou esta terça-feira à Madeira quando questionada sobre os dados divulgados pelo INE apontando que as exportações diminuíram 3,9% e as importações decresceram 0,8% em março deste ano face ao mesmo mês de 2015, tendo o défice da balança comercial aumentado 133 milhões de euros.

De acordo com a Lusa, Assunção Cristas argumentou que se verificava um “movimento consistente e crescente das exportações” com o anterior Governo de coligação do PSD/CDS.

“No final do ano passado começaram a perder dinâmica. Creio que tem muito a ver com alguma incerteza e instabilidade política”, argumentou, considerando que “neste momento, este Governo não está a fazer o suficiente para ajudar as empresas a alcançarem novos mercados”.

A líder do CDS-PP sublinhou que estes números também “refletem a situação que se passa, neste momento, em Angola”, realçando que em matéria de comércio internacional existem sempre “muitos imponderáveis”.

“Por isso, precisamos de ter o próprio Governo, através da AICEP e não só, a procurar apoiar e encontrar alternativas para os nossos produtos e para manter um bom nível de exportações”, defendeu, opinando que o atual executivo “não estará a fazer tudo aquilo que pode fazer e que lhe é devido”.

No entender de Assunção Cristas, para esta situação contribuiu ainda a greve dos estivadores no Porto de Lisboa, o que coloca “dificuldades em escoar os produtos através do Porto de Lisboa”.

“Temos a questão de base e de fundo que é como lidar com este problema grave do Porto de Lisboa, que tem sempre e sucessivos episódios e que teima em não ficar resolvido em definitivo. Este governo prometeu que o iria resolver, até agora não vimos nada”, vincou.

Assunção Cristas sublinhou que “se o Governo quer ajudar a economia portuguesa a crescer e a exportar mais, certamente tem que resolver o problema do Porto de Lisboa”.

Ainda realçou ser “preciso avaliar e interrogar o Governo sobre a razão do incumprimento desses serviços mínimos e como é que se pode ultrapassar essa situação”, indicando existirem mecanismos legais para este fim.

A líder do CDS-PP fez um balanço positivo à que classificou de “visita diversificada” que fez à Madeira, tendo passado pelo Mercado dos Lavradores, pela Universidade da Madeira e o centro comunitário "Garouta do Calhau".