O Presidente da República apresentou hoje Portugal como um dos países mais seguros, estáveis e pacíficos do mundo, lembrando aos grandes empresários do Dubai os ativos ainda pendentes no âmbito do programa de privatizações em curso, como a TAP.

«Como Presidente devo chamar a vossa atenção para um país - Portugal - que é um dos mais seguros, estáveis, pacífico e acolhedor do mundo e apresenta um custo de vida muito competitivo», afirmou o chefe de Estado português, Aníbal Cavaco Silva, no início de um almoço de trabalho no Dubai, com investidores e grandes empresários daquele Emirato, entre os quais o líder do fundo de capital Shuaa, xeque Maktoum Hasher Al Maktoum.

Lembrando o programa de reformas estruturais que Portugal tem vindo a desenvolver ao longo dos últimos dois anos, nomeadamente em matérias de flexibilidade laboral e reforma fiscal, o Presidente da República destacou igualmente o sucesso do programa de privatizações.

«Portugal completou com sucesso um programa de privatizações, mas ainda há mais ativos pendentes, entre eles a companhia aérea, é um tema que está em cima da mesa agora», disse.


Numa intervenção em inglês, Cavaco Silva reforçou que um dos propósitos da sua visita aos Emirados Árabes Unidos é reforçar as relações económicas deste país com Portugal e promover o diálogo político entre os dois países.

«Gostaria de contribuir para a intensificação das trocas comerciais e dos investimentos», disse.


Cavaco Silva aproveitou para deixar algumas informações sobre Portugal, apresentando o país como uma economia de mercado avançada e que tem nas exportações e no turismo dois dos principais pilares económicos.

Além disso, acrescentou, Portugal tem atraído investimentos de multinacionais, como a Nokia, a IBM ou a Cisco, e teme excelentes condições para desenvolver uma «economia verde», nomeadamente em matéria de energias renováveis, como energia solar ou eólica.

Portugal, frisou, é também «uma plataforma estratégica» para a saída de produtos para fora da Europa e possui um dos maiores portos de águas profundas da Europa, o porto de Sines.

«Portugal é um parceiro confiável para as empresas do Dubai», referiu, convidando os empresários a visitar o país, a apreciar a hospitalidade e «se tiverem tempo» a passar pelos campos de golfe, eleitos dos melhores da Europa e do mundo.