O Presidente da República concluiu hoje uma visita de Estado de três dias à Suécia, que teve como principal enfoque a captação de investimento, com um pequeno-almoço com empresários suecos.

«Tivemos uma reunião muito, muito frutuosa», afirmou o chefe de Estado, em declarações aos jornalistas já ao início da tarde. Cavaco Silva explicou ainda que os empresários tinham muitas perguntas sobre a possibilidade de investir em Portugal a médio prazo.

«O que eles queriam saber principalmente - porque têm uma visão que não é para amanhã, não é para a semana que vem - é a médio prazo. Como é que será Portugal a médio prazo», sublinhou o presidente, revelando que as perguntas se centraram em questões como a sustentabilidade das finanças públicas, as reformas destinadas a melhorar a competitividade e a flexibilidade da economia e a simplificação do sistema fiscal.

«Procurámos descansá-los», acrescentou o presidente, «até porque sabemos que Portugal vai estar sujeito no futuro, tal como agora, a uma vigilância apertada por parte das instituições europeias, principalmente naquilo que diz respeito às finanças públicas e à dívida pública", reiterando que "foi uma troca de impressões muito útil".

O pequeno almoço do chefe de Estado aconteceu em Estocolmo, na embaixada de Portugal, e reuniu a ¿nata¿ empresarial sueca, bem como o ministro para os mercados financeiros da Suécia, o diretor-geral da dívida nacional sueca e os ministros portugueses António Pires de Lima (Economia) e Rui Machete (negócios estrangeiros).

Entre os empresários suecos que estiveram com Cavaco Silva contam-se o presidente da Core Investiments, o presidente da AB Electrolux, o presidente da confederação das empresas suecas, entre outros, além de responsáveis da banca.