O constitucionalista Jorge Miranda considera que a solução de Governo de salvação nacional proposta pelo Presidente da República é uma «reafirmação dos seus poderes», garantindo que a proposta tem enquadramento na Constituição da República.

Em declarações à agência Lusa, Jorge Miranda disse que «a fórmula política de um acordo de salvação nacional vai além da Constituição da República, que dá grande latitude ao Presidente da República quanto à convocação de eleições e à subsistência de um Governo».

Por outro lado, o constitucionalista congratulou-se com esta decisão de Cavaco Silva, por considerar que representa uma «reafirmação dos seus poderes» como chefe de Estado: «Havia a convicção generalizada de que o Presidente da República não estava a exercer plenamente os seus poderes de presidente. Esta é uma manifestação clara dos seus poderes num regime semipresidencial como é o nosso».

Jorge Miranda disse «concordar inteiramente» com a solução proposta pelo Presidente. «Não era conveniente fazer eleições antecipadas e não tinha sentido confundi-las com as autárquicas», defendeu.