A deputada socialista Isabel Moreira reagiu às declarações de Cavaco Silva, sobre o tempo em que um dos seus governos esteve em gestão, através de uma carta aberta publicada no Facebook, recordando ao Presidente que esteve “em gestão à espera de eleições” e não na “sequência de eleições”.
 

“Cavaco esteve em gestão à espera de eleições e agora está-se em gestão na sequência de eleições. E não é possível, não havendo poder de dissolução, não indigitar António Costa."


O Presidente da República recordou que, enquanto primeiro-ministro, esteve cinco meses em gestão e aconselhou a que se verifique o que aconteceu nos dois casos de crises políticas anteriores, em 1987 e 2004.
 

“Agradecia assim que não confundisse o inconfundível e já agora que não criasse novas normas constitucionais que alegadamente lhe permitem condicionar o novo Governo."


Em 2004, quando o então Presidente Jorge Sampaio dissolveu a Assembleia da República, o Governo liderado por Pedro Santana Lopes esteve em gestão desde 10 de dezembro até à posse do executivo de José Sócrates, que ocorreu a 12 de março de 2005. As eleições legislativas antecipadas realizaram-se a 20 de fevereiro.

Em 1987, o X Governo Constitucional, liderado por Cavaco Silva, foi derrubado a 3 de abril com a aprovação de uma moção de censura ao Governo apresentada pelo PRD.

O XI Governo Constitucional, também liderado por Cavaco Silva, tomou posse cerca de quatro meses e meio depois, a 17 de agosto. As eleições legislativas antecipadas aconteceram a 18 de julho. O executivo entrou em plenitude de funções 28 de agosto, depois do debate do programa de Governo na Assembleia da República.