O Presidente da República, Cavaco Silva, defendeu que o Eixo Atlântico poderá «ter um contributo importante a dar», numa altura de desafio para a Europa, em que é preciso crescimento económico, emprego e coesão social.

Cavaco Silva discursava durante a cerimónia de entrega das Medalhas de Ouro do Eixo Atlântico do Noroeste Peninsular 2015, no Teatro Rosalía Castro, na Corunha, em Espanha, onde também esteve presente o rei de Espanha Felipe VI.

«Estes últimos anos têm sido tempos de desafios para o Mundo e, em particular, para a Europa. Os nossos países sabem-no bem. Num momento em que tanto necessitamos de uma dinâmica de crescimento económico, de criação de emprego e de coesão social, acredito que o Eixo Atlântico poderá ter um contributo importante a dar», considerou.

Segundo o Presidente da República, com a cooperação desta associação transfronteiriça que integra 38 municípios «pretende-se também uma aproximação mais tangível e consistente à União Europeia, otimizando os apoios comunitários a projetos que contribuam para o progresso e crescimento deste espaço regional».

«Desde 1992 que este projeto tem apostado na cooperação entre os dois lados da fronteira, com efeitos relevantes na vida das pessoas e das empresas. Na base deste tipo de iniciativas está, desde logo, a mudança operada, a diversos níveis, no relacionamento entre as duas regiões. Diria que o Eixo Atlântico deve sentir-se encorajado a prosseguir a sua missão, aproveitando o enorme potencial ainda por explorar», defendeu.

Cavaco Silva salientou que, em termos das relações bilaterais de Portugal com Espanha, «o Norte de Portugal e a Galiza são das regiões mais ativas no domínio da proximidade e cooperação transfronteiriça», sendo evidente a vitalidade em matéria económica desta relação «a nível das trocas comerciais e do investimento».

«A Galiza e o Norte de Portugal são regiões que apresentam, graças ao seu crescente desenvolvimento, um elevado potencial económico e que constituem, cada vez mais, um espaço privilegiado de interação e cooperação, evidenciando bem a presença e o relevo de interesses comuns no quadro global em que ambos os nossos países se movimentam», sublinhou.

Esta foi a primeira visita oficial que Cavaco Silva fez a Espanha desde a proclamação de rei de Espanha Felipe VI, tendo sido na cidade de cuja universidade recebeu um Doutoramento Honoris Causa.