O Presidente da República afirmou, esta quinta-feira, que o "futuro do país" vai depender da capacidade de criação de "condições de atração para todos": não só para os que desejam ficar, mas também para os que, forçados a sair do país, aspirem regressar.

"O futuro do país dependerá da capacidade de criar condições de atração para todos, não só para os que desejam ficar, mas também para os que aspiram regressar."

Cavaco Silva discursou na cerimónia de entrega do prémio “Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa” da COTEC Portugal, na Fundação Calouste Gulbenkian, inserida nas comemorações do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas. O galardão tem como objetivo premiar e divulgar cidadãos portugueses que se tenham distinguido pelo seu papel empreendedor, inovador e responsável no contexto das sociedades de acolhimento e que constituam exemplos de integração efetiva nestes países.

No seu discurso, o Presidente da República sublinhou que "sair de Portugal" não significa "deixar de fazer parte da vida do país". Mais, para Cavaco Silva, a "distância geográfica" confere uma "perspetiva mais objetiva sobre o país".

"Sair de Portugal não significa deixar de fazer parte da vida do país, pelo contrário. Os laços afetivos reforçam-se e a distância geográfica confere uma nova perspetiva, mais objetiva, sobre o país que somos e o país que queremos ser."


O chefe de Estado enalteceu o sucesso dos portugueses no estrangeiro, sublinhando a "fibra empreendedora" dos que não se resignaram face "circunstâncias difíceis".

"Os portugueses têm vindo a mostrar a sua fibra empreendedora, não desanimando, não se resignando face às circunstâncias difíceis. [...] Esta nova geração de portugueses constitui a linha avançada de Portugal no mundo, mostrando que somos um país credível e com elevado potencial."


O vencedor do prémio “Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa” da COTEC Portugal foi o empresário José Neves, fundador da Farfetch - o segundo maior site de compras online de artigos de luxo.