O Presidente da República diz esperar que a sua visita à China contribua para reforçar a recuperação da economia portuguesa e combater o desemprego, lembrando que as exportações, o turismo e o investimento são os pilares do crescimento económico.

«Todos sabem que as exportações, o turismo e o investimento são os pilares do crescimento económico português e a da criação de emprego, eu penso com esta visita dar um contributo para que se reforce a recuperação da economia portuguesa e se combata o flagelo do desemprego», refere o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, numa mensagem que será divulgada no site da Presidência da República e que foi distribuída aos jornalistas que acompanham a deslocação do Presidente à China, à chegada a Xangai.

Na mensagem, Cavaco Silva, que iniciou esta segunda-feira uma visita de Estado de sete dias à China a convite do seu homólogo, destaca a importância da deslocação, lembrando que Portugal e a China celebram o 35.º aniversário das relações diplomáticas entre os dois países.

«Regresso à China depois de a ter visitar como primeiro-ministro em 1987 e 1994 para resolver a questão de Macau que a história tinha deixado aos dois países», lembra o chefe de Estado.

Destacando os encontros institucionais que terá com o Presidente e o primeiro-ministro chineses, o presidente do Congresso do Povo e o presidente da câmara de Xangai, Cavaco Silva assinala igualmente a «importante delegação empresarial» que o acompanha.

«A China apresenta-se como um mercado com um grande potencial de expansão para os produtos portugueses», frisa o chefe de Estado, que irá participar em dois seminários económicos durante a visita à China e terá encontros com empresários chineses.

«Quero que eles fiquem a saber que Portugal é uma localização competitiva para o investimento estrangeiro», adianta o Presidente da República.

Segundo Cavaco Silva, a cooperação na área da ciência e do ensino da língua portuguesa irão também ocupar um «lugar de relevo» na sua visita à China, que o levará a Xangai, Pequim e Macau.

«Quero com esta minha visita que a China fique a conhecer melhor Portugal, as potencialidades económicas e cientificas do nosso país, que os chineses fiquem a conhecer melhor a qualidade dos produtos portugueses e a riqueza da nossa cultura, que mais chineses possam visitar Portugal, queremos receber mais turistas vindos da China», acrescenta ainda o chefe de Estado.