O Presidente da República cumpriu esta terça-feira a tradição de ouvir os cantares de Reis, que este ano levaram ao Palácio de Belém um grupo de cavaquinhos, o cante alentejano e o «trabalho notável» de cidadãos portadores de deficiência.

«Quero desejar a todos, a todos os portugueses, mas em particular àqueles que vieram aqui connosco celebrar o Dia de Reis, desejar um bom Ano Novo, um bom ano de 2015, em primeiro lugar, com saúde, mas também com alguma prosperidade», afirmou Cavaco Silva aos grupos de cantares.

Após ouvir dois temas por parte de cada um dos três grupos, vindos dos concelhos de Estarreja, Viseu e Alvito, o Chefe de Estado e a mulher, Maria Cavaco Silva, convidaram os cantores a conviver e comer bolo-rei.

«Eu faço questão de cumprir a tradição. Quando era jovem eu próprio participei em algumas manifestações culturais do tipo daquelas que estão hoje aqui e, como Presidente da República, tenho sempre acarinhado esta tradição das janeiras e já o fazia quando era primeiro-ministro», disse Cavaco Silva, como reporta a Lusa. 

O Presidente enalteceu o trabalho dos grupos de cantares que, disse, «afirmam durante todo o ano aqueles que são valores próprios da quadra» natalícia: «a amizade, a solidariedade, a união, a convivência».

«Eu só posso agradecer-vos pelo trabalho que fazem ao longo de todo o ano, projetando estes valores que ganham uma expressão mais forte no tempo do Natal e de Ano Novo».

«Não devemos abandonar estas tradições porque são elas em boa parte que constroem a identidade do nosso povo», considerou.


O Presidente dirigiu-se depois a cada um dos grupos. À Cercicanta, de cidadãos com deficiência do concelho de Estarreja, instituição já visitada pela sua mulher, Cavaco Silva enalteceu o "trabalho notável", para que os "deficientes tenham uma oportunidade de contribuir para a sociedade".

Ao Grupo de Cavaquinhos de Passos de Silgueiros mostrou cumplicidade com o nome dos instrumentos e o seu próprio nome: «De Passos de Silgueiros, Viseu, vem o grupo dos cavaquinhos. Portanto, imaginam o encanto com que vos ouvi, compreendem perfeitamente e não acrescento mais nada», disse.

Cavaco Silva felicitou o Grupo dos Amigos do Cante, de Alvito, pelo reconhecimento como património imaterial da Humanidade daquela expressão cultural pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura).

«Mostra bem como as nossas tradições podem adquirir uma expressão internacional ao mais alto nível e, dessa forma, contribuir para a imagem de Portugal por esse mundo fora», afirmou.

Os convites aos grupos já remontavam a anos anteriores, mas só este ano se concretizaram:

«Deus quis que viessem cá depois de terem recebido reconhecimento internacional por parte da Unesco», referiu Cavaco Silva.