O Presidente da República considerou esta quarta-feira que a detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates não irá afetar a imagem de Portugal, sublinhando que quem observa o país verifica que as instituições «estão a funcionar com toda a normalidade».

«Estou convencido que essa imagem não se vai alterar significativamente, espero até que não se altere nada porque quem nos observa verifica que as instituições democráticas estão a funcionar com toda a normalidade no nosso país, não me parece que vá ocorrer uma alteração da imagem de Portugal no estrangeiro», afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, em declarações aos jornalistas em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.


O ex-primeiro-ministro José Sócrates está detido na prisão de Évora, depois do primeiro interrogatório judicial e de ter sido colocado em prisão preventiva. José Sócrates o é o primeiro ex-chefe de governo da história da democracia portuguesa a ficar em prisão preventiva, indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção.

Cavaco Silva, que começou por não querer comentar as questões colocadas pelos jornalistas sobre a detenção do ex-primeiro-ministro, alegando que por «respeito pelo princípio da separação de poderes» o Presidente da República não deve «acrescentar uma única palavra sobre esse assunto», acabou por falar sobre o reflexo que o assunto terá na imagem de Portugal no estrangeiro.

«Até há duas semanas, e por dados objetivos que tinha, não tinha a mínima dúvida que Portugal estava com uma muito boa imagem nos mercados externos, na União Europeia e fora da União Europeia, até pelos contactos que tinha tido com os chefes de Estado que estiveram em Braga na reunião do Grupo de Arroios», referiu.


Mas, acrescentou, não deverá acontecer nenhuma alteração na imagem de Portugal com a prisão do antigo chefe do Governo.

O Presidente da República desvalorizou ainda o facto da notícia da prisão preventiva de José Sócrates estar a ser falada em todo o mundo, sublinhando que é natural isso acontecer «quando ocorrer qualquer coisa que atrai muito a atenção da comunicação social».