O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, elogiou hoje o almoço que o «chef» português Jorge Lavos da Costa lhe preparou em Seul, onde se encontra em visita oficial, e convidou-o a regressar a Portugal, escreve a Lusa.

O chefe de Estado, que realiza uma visita oficial à Coreia do Sul, e a mulher, Maria Cavaco Silva, almoçaram hoje no restaurante do hotel Conrad, cuja cozinha é chefiada pelo português Jorge Lavos da Costa.

Após o almoço privado, o Presidente reviu, mais tarde, o cozinheiro num encontro com membros da comunidade portuguesa e teceu-lhe vários elogios, dizendo: «Cá está um português que vai ter grande sucesso na Coreia do Sul».

No menu que preparou para o chefe de Estado, Jorge Lavos da Costa quis mostrar sabores típicos da gastronomia coreana, como os cogumelos ou um bife especial, de vacas tratadas de forma a terem muita gordura. «Comemos bem», assegurou Cavaco Silva.

Depois de se dirigir à comunidade e aos empresários portugueses que integram a comitiva oficial, o chefe de Estado e a mulher trocaram algumas palavras com o jovem «chef» português, que vive em Seul há quase dois anos.

«Espero que um dia volte como "chef" para Portugal», disse Cavaco Silva, ao que Jorge Lavos da Costa, que já trabalhou na Suíça, no Dubai e agora na Coreia do Sul, respondeu que é esse o seu objetivo, dentro de poucos anos.

Maria Cavaco Silva sugeriu que o cozinheiro vá trabalhar num restaurante no Algarve distinguido com duas estrelas Michelin, que «é muito perto» da casa que possuem na região, de onde Cavaco Silva é natural.

«Com que "chefs" portugueses aprendeu? Com o José Avillez [cujo restaurante em Lisboa tem uma estrela Michelin]? Conhece-o?», perguntou depois o Presidente, que quis também saber se Jorge Lavos da Costa tem procurado apresentar a gastronomia portuguesa aos sul-coreanos.

O cozinheiro respondeu que o menu do restaurante tem arroz de marisco ou leitão à Bairrada e que todas as semanas prepara um prato português diferente, como bacalhau à Brás ou rancho, garantindo que os sul-coreanos «adoram a comida portuguesa».

O «leitão à Bairrada» é uma criação sua, já que o cozinheiro reproduz na Coreia do Sul o prato com uma técnica diferente da forma como é feito em Portugal, cozendo o leitão a baixa temperatura durante 18 horas. «Fica tenrinho», notou Maria Cavaco Silva, enquanto o embaixador português na Coreia do Seul, António Quinteiro Nobre, garantiu: «É o leitão legítimo, é como se estivéssemos na Bairrada».

A este propósito, o Presidente da República disse esperar que a sua visita permita desbloquear «um problema»: Portugal ainda não consegue exportar carne de porco para a Coreia do Sul, mas estão a decorrer negociações para resolver esta situação: «Espero que não daqui a muito tempo tenhamos autorização para que possa importar diretamente» a carne de porco de Portugal.