A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, afirmou este domingo à Lusa que o programa de ajustamento português «só serviu para o país empobrecer», acrescentando que a troika deu sempre nota positiva ao que «empobreceu mais» o país.

«Foi-nos dito que com o programa de ajustamento da troika [Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional], Portugal iria empobrecer para ter um novo modelo económico. [O programa] Só serviu mesmo para o país empobrecer, quer pela perda de emprego, de salários, de pensões, pelas pessoas que saem do nosso país e pelas privatizações que retiraram recursos ao nosso país e ao nosso povo», disse Catarina Martins.

A responsável falava à margem da sua participação no congresso do Partido da Esquerda Europeia (PEE), em Madrid.

Numa altura em que decorre a décima avaliação ao cumprimento do programa de ajustamento português, a coordenadora do Bloco de Esquerda disse que, desde o início do resgate, Portugal aumentou a dívida pública e ainda não tem uma saída para a crise «à vista».

Ao Bloco de Esquerda, disse Catarina Martins, «as avaliações positivas da troika não dizem nada», até porque as três instituições avaliaram «sempre positivamente aquilo que empobreceu mais o país».

Os responsáveis da missão da troika estão em Portugal desde 04 de dezembro para a décima avaliação ao cumprimento do programa de ajustamento.

Esta será a antepenúltima avaliação deste programa de resgate, que termina em junho do próximo ano, e em causa estará mais um desembolso de 2,7 mil milhões de euros.