O Bloco de Esquerda acusou este sábado a ministra das Finanças de repetir «propaganda do fascismo» ao dizer que Portugal tem «os cofres cheios», advogando que existe «uma dívida gigantesca com o país» e às vítimas da austeridade.

As posições da porta-voz bloquista, Catarina Martins, foram assumidas no discurso de encerramento de um comício «Unidos contra a austeridade», promovido pelo BE no Fórum Lisboa, após intervenções da eurodeputada bloquista Marisa Matias e de Rafael Mayoral e Costas Zachariadis, respetivamente dirigentes do partido espanhol Podemos e do Syriza, da Grécia.

A líder do BE criticou as declarações de Maria Luís Albuquerque, que «não podem passar em claro», considerando que fazem lembrar uma altura em que no país «se gabavam os cofres cheios, quando o povo estava na miséria».

Neste contexto, Catarina Martins alegou não existir «nada mais repugnante» do que «repetir a propaganda do tempo do fascismo».