O ex-presidente do Governo Regional dos Açores Carlos César considerou este domingo que a direção do PS, incluindo o secretário-geral, já não tem qualquer legitimidade e que não pode colocar-se atrás de um biombo com questões estatutárias.

«O PS não pode ignorar as manifestações de apoio à candidatura de António Costa que trespassam todo o país, blindando todo este processo e colocando atrás de um biombo uma direção que hoje, manifestamente, não tem qualquer legitimidade, incluindo a sua liderança», declarou Carlos César à entrada para a reunião da Comissão Nacional do PS.

Neste contexto, o ex-presidente do Governo Regional dos Açores defendeu que «é essencial que haja pelo menos um congresso extraordinário, até para clarificar uma interpretação enviesada que existe sobre os estatutos».

«Os estatutos têm de permitir uma eleição da direção e do líder do partido. O PS tem de ter consciência que há uma apodrecimento da credibilidade da sua liderança e não beneficia ninguém o prolongamento desta situação», acrescentou Carlos César.