O ex-ministro socialista Capoulas Santos manifestou-se indignado com as críticas do secretário-geral do PS e do dirigente João Proença ao período dos governos de José Sócrates e apelou «à rápida substituição» da direção deste partido.

Capoulas Santos, um dos elementos mais próximos do ex-primeiro-ministro José Sócrates, falava à agência Lusa, depois de António José Seguro ter dito que não teria negociado o memorando de 2011 e de o ex-secretário-geral da UGT ter criticado o anterior executivo por causa das parcerias público-privadas (PPP) e por não ter antecipado a crise financeira de 2008.

«Estou indignado quer com as declarações de António José Seguro [à Rádio Renascença], quer com as declarações de João Proença [ao jornal I], porque confirmam que o PS teve nos últimos três anos uma direção que agiu com reserva mental face ao passado do partido. Esta confirmação torna ainda mais urgente a rápida substituição desta direção», sustentou o ex-ministro da Agricultura dos governos de António Guterres.

Para Capoulas dos Santos, «ninguém pode almejar um futuro sem respeitar o passado».

«Um passado que deve ser justamente avaliado nos seus aspetos positivos e negativos», acrescentou o ex-eurodeputado socialista, que em 2011 apoiou a candidatura de Francisco Assis a secretário-geral do PS contra a atual liderança.