O Partido pelos Animais e pela Natureza (PAN) apresentou nesta terça-feira o seu cabeça de lista às eleições europeias de maio, o docente Orlando Figueiredo, que fala num projeto para «reestruturar a Europa».

O candidato, citado pela Lusa, diz que o PAN é a «única força política» em Portugal que «surge como uma carta fora do baralho para dizer que o jogo está à partida viciado», e irá promover uma visão de uma Europa não só de direitos humanos universais mas também de «reconhecimento dos direitos dos animais, da natureza e das gerações futuras de humanos e não humanos».

Algumas das propostas do partido passam por questões económicas, como uma «profunda reforma do sistema financeiro» ou a adoção de «indicadores alternativos» ao Produto Interno Bruto (PIB). O PAN apresenta a Felicidade Interna Bruta (FIB) como modelo de desenvolvimento.

O PAN exige que «sejam interditados todos os espetáculos e formas de entretenimento que envolvam o uso e a exploração de animais», bem como a eliminação de apoios da Politica Agrícola Comum (PAC) à «pecuária intensiva».

Orlando Figueiredo, que avançou 15 de abril como a data da divulgação completa do programa eleitoral, declarou ainda que o PAN pretende, a nível de proteção da natureza, manter as sementes livres e considerar a água um bem público.

O cabeça de lista foi apresentado na sede do partido, em Lisboa, pelo presidente do PAN, Paulo Borges, que enalteceu a lista de candidatos ao hemiciclo europeu, formada por «muitos dos mais empenhados e qualificados filiados» do partido.