“Quando se faz uma negociação, nunca se devem fechar as portas a outros agentes com quem se pode chegar a acordo, porque se não fica-se nas mãos do único com quem se está a negociar”, afirmou à agência Lusa Henrique Neto, em Leiria, à margem da aula aberta sobre "Desafios empresariais do século XXI", promovida pela D. Dinis - Business School.


“Das duas uma, ou se colocou nas mãos deles ou acaba por não haver sucesso na negociação e quando há uma negociação temos que partir do princípio que o Partido Socialista estava interessado ou está interessado em que a negociação tenha sucesso”, adiantou.






“Eu lamento muito que o Francisco Assis, como muitos outros, tivessem estado calados e não tivessem tomado uma iniciativa de avaliar os prejuízos para o país que estavam a ser conduzidos naquele momento”, acrescentou Henrique Neto, dizendo que aplaude a ideia de “debater a questão” por parte de Francisco Assis, mas “gostaria que isso fosse mais normal no PS”.