"Aquilo que mais me aflige não é tanto as diferentes soluções e remendos que vão sendo encontrados, mas a incapacidade, quer do Banco de Portugal, quer dos governos - o anterior e este -, de preverem os acontecimentos", disse, ao longo de visitas a dois mercados na zona de Alvalade, Lisboa.






"Nos Estados Unidos, o país mais capitalista do Mundo, os bancos, um fechou - foi um problema, mas fizeram-no - e os outros têm levado multas de milhares de milhões de euros por desvios às regras e regulamentos. Mesmo na Suíça, na Inglaterra, os bancos foram penalizados porque estavam a ser verdadeiramente regulados", exemplificou.