O PSD admitiu esta sexta-feira ter corrigido a compra de imagens para cartazes de campanha, mas, por comparação com o PS, afirmou que o maior partido da oposição “perdeu o bom senso”, referindo-se ao recurso a fotografias de outros contextos.

“Aqui há também uma diferença clara entre nós e o PS. Aí também o PS não corrige os erros que cometeu e já não é uma questão de inteligência, é uma mera questão de bom senso. O PS o que tem demonstrado é que também já perdeu o bom senso”, disse o vice-presidente social-democrata Carlos Carreiras, em conferência de imprensa, na sede nacional do partido, em Lisboa.

A licença de uso para fins políticos dos figurantes dos cartazes da coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP) só foi obtida ao fim do dia de quarta-feira, revelara na véspera à Lusa a empresa Shutterstock, à qual as imagens foram compradas.

“A empresa confirmou, de facto, que as imagens foram compradas e que foi corrigida essa mesma compra. No caso da coligação Portugal à Frente, sabemos quem são as empresas, quanto custou e quem são os responsáveis pelas próprias campanhas. Do lado do PS, e é mais uma linha que nos separa, não sabemos quem foi o responsável pelas campanhas, quanto custou e ainda não temos a admissão de quem as pagou”, afirmou Carreiras.