O PS vai apresentar hoje uma queixa na Comissão Nacional de Eleições devido ao número de inaugurações e projetos apresentados pelo Governo durante a campanha das eleições europeias, disse à Lusa o dirigente socialista António Galamba.

De acordo com António Galamba, membro do secretariado nacional do PS, o Governo tem violado o dever de neutralidade e imparcialidade durante as campanhas eleitorais, sendo que a queixa à CNE visa dar «uma lição para o futuro».

«Desde que foram marcadas as eleições europeias, a 21 de março, o Governo já fez 25 inaugurações, assinou 20 protocolos para obras e lançou oito projetos», acusou o dirigente socialista em declarações à agência Lusa.

Segundo referiu, hoje mesmo, último dia de campanha antes das eleições de domingo, «um membro do Governo ¿ o secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social ¿ vai fazer três inaugurações».

Uma situação que, em conjunto com cerca de 50 outros casos compilados pelo PS durante o período de campanha eleitoral, «é suscetível de violar os deveres de neutralidade e imparcialidade que o Governo, como qualquer outro órgão de Estado, tem de cumprir», defendeu.

Para António Galamba, este cenário mostra «uma marca clara deste Governo: quando deve governar, faz propaganda e quando é tempo dos partidos fazerem propaganda e fazerem campanha eleitoral, tenta ensaiar aqui uma espécie de governação».

Embora admita que a queixa à CNE já não terá efeitos práticos, já que a campanha eleitoral termina hoje, o dirigente socialista explicou que a intenção «é simbólica» e que visa lembrar o executivo que «Portugal é um Estado de Direito democrático e, portanto, o Governo tem responsabilidades acrescidas não só de cumprir a Constituição mas de cumprir a legislação em vigor».